Segundo investigadores federais dos EUA, Harold Martin tinha posse de informações que não precisava ter que datavam de 1996 até 2016.

Sourced through Scoop.it from: idgnow.com.br